[ SP ] Registros de violência doméstica contra mulheres com deficiência caem durante a pandemia

Assuntos abordados

Levantamento realizado pelo Celina/O Globo junto a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo revela que o volume de denúncias de violência contra mulheres com deficiência caiu quase 30% nos quatro primeiros meses do 2020 em relação a igual período do ano passado. Os dados evidenciam o grave cenário de barreiras que mulheres com deficiência enfrentam para denunciar situações de violência doméstica, como a falta de acessibilidade nas delegacias e no transporte, a falta de recursos de audiodescrição, de intérpretes de libras e de formulários impressos em letras ampliadas ou em braile, além da falta de treinamento para os profissionais de segurança. A ausência de uma política pública do cuidado também faz com mulheres com deficiência tenham um risco maior de sofrerem mais episódios de violência doméstica e de permanecerem em relacionamentos abusivos, sobretudo quando a pessoa que agride é também quem faz a mediação das atividades da vida diária

Mais informações sobre esse assunto